Para que você se liberte do sofrimento, primeiro você tem que entender o que é o sofrimento

Um discípulo perguntou ao mestre: “Por que não posso ficar em paz apesar de fazer tantas práticas espirituais”? “Por que não posso liberar-me do sofrimento apesar de ler tantos livros espirituais e escutar discursos religiosos”? “ É possível a iluminação para alguém como eu”?


Para que você se liberte do sofrimento, primeiro você tem que entender o que é o sofrimento.

Sri Bhagavan disse: “O sofrimento não é nada mais que o contínuo processo de pensamento que ocorre na mente, tendo como raiz um acontecimento ou incidente do passado. O sofrimento não é nada mais que levar com você os acontecimentos passados da vida”.

Existem dois tipos de pessoas que caminham por estas terras: os iluminados e os não iluminados. Os iluminados são aqueles que são “comuns” e os não iluminados são aqueles que são “extraordinários”.

Um iluminado não sofre, já que está constantemente vivendo no presente, experimentando cada aspecto do que a vida lhe está oferecendo. Porém, para aqueles que não estão iluminados, a vida se reduz a nada mais que sofrimento.

Estar consciente é estar iluminado.
Todo o propósito da vida é vivê-la momento a momento. Se alguém observa seu próprio processo de pensamento, então pode facilmente descobrir que o “levar consigo” é o sofrimento.

Por exemplo: havia dois amigos que eram muito unidos desde a infância. Depois de um mal entendido, começaram a discutir asperamente e depois brigaram. A briga em si mesma não é nada mais que “dizer coisas um ao outro”, porém não termina aí, o evento continua preso na mente, seja estando na cozinha, no escritório, assistindo TV ou inclusive em uma festa. Segue… continua.

O sofrimento aflora somente quando nossa mente é condescendente com pensamentos desnecessários do passado e do futuro, sem viver no presente. Este comentário, o diálogo constante na mente é a causa de todo sofrimento. Mesmo quando um fato já terminou, continuamos internamente falando com a outra pessoa que nos feriu.

Uma pessoa iluminada experimenta tudo, o que torna sua vida rica, eterna e sempre fresca, porém para uma pessoa que não está iluminada,  a vida é mecânica e repetitiva e por isso tediosa. Aquele que está iluminado desfruta de um sorvete, enquanto o que não está não desfruta do sorvete porque está ocupado com a pergunta: “Quem fez o sorvete”? , “Que fábrica”? , “De que vaca é o leite”? “Que pasto comeu a vaca”?

Aquele que está vivendo nunca questionará o propósito da vida. Por que o faria? Ele está só experimentando.

Agora a pergunta é: como terminar com esse processo de pensamento desnecessário? Qualquer esforço nesta direção é um ato fútil já que qualquer esforço para silenciar a mente criará mais ruído.

 O PENSAMENTO NÃO PODE TERMINAR COM O PENSAMENTO

Budha foi Budha não porque leu livros. Verkataramana não se  transformou em Ramana Maharishi porque ouviu palestras religiosas. A iluminação é algo além dos limites da mente. Não é transformação dentro da mente. Iluminação é um estado aonde se transcende a mente e suas limitações. Esse acontecimento é uma benção.

“Experimentar é crer”. A iluminação é uma benção possível hoje a milhares por Sri Bhagavan e Amma. Reviva nas águas da imensa graça e experimenta por que… “o homem não pode consegui-lo por si mesmo… tem que ser-lhe dado”.

Tradução: Daniela Amaral

Fonte: Blog Blessolutions
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...