Alinhando as Vontades

Muitas vezes nos vemos clamando ao nosso Ser por coisas que almejamos. Quando procedemos assim, estamos limitando a atuação do universo. É o mesmo que solicitar o amor já selado por nós previamente.

E enquanto aguardamos por algo que não entra em sincronicidade, nos embrenhamos por buscas que acabam em nada. Sentimos que perdemos tempo e que a dor nos mostrou um pouco mais da sua face. Lembre-se de que o único propósito da dor é nos fazer cientes de que não precisamos dela.

O como pedir nada tem haver com o que pedimos. O primeiro passo é mudar o foco. Se estivermos querendo algo podemos usar esse almejo como impulso para chegar ao Pai e entregar em Suas mãos essa inquietude. Nesse ponto o foco muda, pois ao invés de dizermos ao Pai o que queremos, vamos deixar que Ele nos mostre a Sua vontade. Essa é a função da Mônada Divina e temos que respeitá-la. Observe a máxima essênia: “Lance teu fardo sobre a Mônada Divina e ela se susterá”.

Depois de realizar essa mudança de foco ainda teremos que ordenar que a nossa vontade se alinhe com a vontade Dela. Somente quando as duas mônadas se alinham é que a mágica da criação ocorre. Porém, isso jamais acontecerá de baixo para cima.

Nesse ponto será preciso uma expansão do campo de visão feita conscientemente, ou seja, deveremos abrir mão da visão da recompensa e olhar para a visão da fonte.

Recompensas são conseqüências de um justo pensar, sentir e agir. Elas fazem parte do pacote completo da criação. Então temos que ser mais confiantes de que as receberemos.

Um bom exercício é começar a contemplar o nosso propósito dentro da coordenada em que nos encontramos. Lembre-se de que tudo é matemática para o universo. Existe um propósito maior e um menor. O maior é a visão da fonte e o menor a visão da recompensa.

Peguemos como exemplo algo simples. Você quer uma casa e pede à sua Mônada Divina por ela. Depois de pedir começa a pensar em formas de tê-la e então sai na busca dos meios de se ter uma casa. Nesse ponto em que o foco é a parte menor, caímos na dor.

Ampliando a visão nos colocamos no topo da montanha e ao olhar o todo, avistaremos a casa como fazendo parte do todo dentro desse propósito maior. Então vemos o caminho do amor, da fonte de tudo que há.

Por isso é importante a investigação do propósito de estarmos dentro de uma realidade. Indague a si mesmo qual o propósito de ter sido atraído para ela. Essa simples contemplação te levará ampliar a forma de ver e te levará a transferir a Vontade da Mônada Divina.

Quando a sua vontade se alinhar então o todo começará a fluir.


Fonte: Eterna
http://quanticaespiritualista.blogspot.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...